Testemunhos

Suzana Caetano tem 19 anos e é natural de Boa Vista, Roraima, mas mora em Canoas com sua família há dois anos. Com um pai alcoólatra e um lar sem Cristo, ela carregava marcas de abuso, mágoas e até uma tentativa de suicídio. Até que Deus fez tudo novo em sua vida a partir de um retiro de jovens. 

Suzana é filha adotiva de Ney e Maria Sônia Veloso, desde os 14 anos, quando os pais se separaram. “Meu pai chegava bêbado em casa todas as noites e não nos deixava dormir, até que um dia ele partiu para a agressão física contra a minha mãe e isso bastou para ela”, conta. Após esse episódio a mãe passou a sofrer ameaças de morte e decidiu denunciá-lo à polícia. “Presenciei meu pai sendo preso, tratado da pior maneira”, lembra.

Enfrentando todas essas adversidades Suzana passou a culpar a mãe pelos problemas. Com dificuldades financeiras pelo fato do pai estar preso, ela foi em busca de um trabalho. Foi então que sofreu uma tentativa de abuso e desenvolveu um trauma: “comecei a trabalhar em uma padaria perto de casa e um dia, fechando o estabelecimento, me deparo com o chefe próximo a mim. Ele tentou me abusar, fiquei apavorada, gritava por socorro, falava que ia chamar a polícia e depois de tanto ameaçá-lo, ele me soltou e saí correndo para a minha casa. Não tive coragem de contar para a minha mãe, achava que eu era culpada por ter despertado o desejo nele, me sentia culpada por tudo”.

A partir daí a questão da culpa passou a dominar os pensamentos de Suzana, que depois de uma briga com o irmão mais velho tentou tirar a própria vida, pois achava que não tinha mais motivos para viver. “Me tranquei no quarto e comecei questionar Deus por que tudo aquilo estava acontecendo.

Tentei suicídio porque achava que fazendo isso, acabaria com os problemas. Na minha opinião, seria menos uma para minha mãe se preocupar.

O pior só não aconteceu porque minha mãe me encontrou no chão, já me debatendo", explica.
Pouco tempo depois a menina conheceu um senhor que viu nela um futuro, uma pessoa que poderia dar o suporte e a estrutura que sua família não tinha. Ele a apresentou a Sônia, que estava à procura de alguém para ajudar. Suzana foi adotada e começou a fazer parte de uma nova família. Ganhou dois irmãos e pais tementes à Deus..
“Eles sempre falavam do amor de Deus para mim, mas eu não entendia, porque já estava desacreditada, por tudo o que já tinha passado. O amor que recebi deles proporcionou esse verdadeiro encontro que tive com Deus”, conta emocionada. Já em Canoas, Suzana e a família conheceram a IBFC e ela foi a um retiro. “Deus passou a usar pessoas para falar comigo, gente que nem me conhecia e falava tudo aquilo que tinha acontecido na minha vida”, relata. Durante uma reunião de jovens ela escutou uma frase que foi o começo de uma nova vida: “é preciso deixar o passado e nascer de novo”.

“O medo estava presente na minha vida, eu não tinha coragem de compartilhar com ninguém o que tinha acontecido, por medo de ser culpada por algo” afirma. Foi então que no retiro de verão dos jovens, no começo de 2016, que Suzana teve um encontro real com Deus e pode compreender como Cristo poderia fazer tudo novo. “Eu estava desacreditada do amor de Deus, mas fui regenerada na sua infinita graça e sou grata por Ele ter me dado mais uma família, a IBFC”, compartilha. Hoje ela conta sua história sem traumas, lembrando que há um Deus que a ama e que mudou sua trajetória. Encontrou na IBFC o conforto e o encorajamento que precisava para esquecer o passado e deixar Deus agir em sua vida.